Dicas de Cordel

icone facebook icone twitter icone gplus icone whatsapp

A REINVENÇÃO DO CORDEL

 

Foi no período em que a academia pesquisava o cordel, no início da década de 60, que o mesmo entrou numa acentuada queda de demanda por parte do seu público tradicional. A radionovela, como o Direito de Nascer, substituía gradativamente os “Romances de Feira”. De maneira contínua o público do cordel que na verdade não era afeito à leitura, e sim à diversão, migrava para o rádio e na sequência para a televisão.

Nesse mesmo período os resultados das pesquisas levaram o cordel para dentro da universidade e, por conseguinte, para a educação. O público popular do cordel diminuia dia após dia e o público de intelectuais, pesquisadores, professores e escritores, aumentava sistematicamente. O resultado dessa troca de públicos é identificado facilmente nos tempos atuais, com amplo espaço para o crescimento e a consolidação.

Observamos o cordel como uma peça completamente encaixada no mecanismo da educação. E não mais como uma pequena brochura folclórica estudada num determinado mês do ano, mas é preciso avançar nessa nova direção, consolidar essa tendência natural. 

dicas-de-cordel


« Voltar