Produtos

icone facebook icone twitter icone gplus icone whatsapp

O SERTÃO DE ALMA LAVADA


Autor: Abdias Campos
____________________

Meu coração se encheu
De motivada alegria
Porque Deus me ofereceu
O norte da poesia
E assim pus-me a cantar
As coisas do meu lugar
Este Sertão altaneiro
Pedaço do meu Brasil
Que no Nordeste se ouviu
Em cantos do violeiro

OS BICHOS
Faz a formiga-de-roça
Uma trilha pra passar
Não tem barreira que possa
A ela interceptar
Picota a palha do milho
Num imaginário trilho
Desce o buraco da grei
Levando alimentação
É assim todo verão
Digo porque observei

Canta o poeta a natura
Do Sertão em cantoria
Numa mesma partitura
A serenata da jia
Chamando o sapo à lagoa
Veja só que coisa boa
Que rito mais refrescante!
Esses bichos do Sertão
Fazem para o coração
Sob o luar deslumbrante

O preá cruza o caminho
Pra se esconder no capim
Enquanto dorme sozinho
O pequeno guaxinim 
A seriema elegante
Não vê um lugar distante
Que ela não possa alcançar
Metido no matagal
Encontra-se o bacurau
Que à noite sai pra caçar

Juriti, xexéu, nambu
Aves do céu do Sertão
Cutia, peba, tatu
Os que vivem pelo chão
Do riquíssimo celeiro
Desse solo brasileiro
Que alguém fala sem saber
Que só há dor, sofrimento
Porque nunca ouviu o vento
Soprando no muçambê


(...)

Neste cordel abordamos elementos das riquezas 
do Sertão, como os bichos, as pessoas e a vegetação. 
Compre este cordel e leia o tropel de versos que não estão aqui.

apenas
R$ 2,99

Frete grátis
para todo Brasil